Tênis é bom, jogar em família então…

Lia Kauffman HerszkowiczVocê já pensou em praticar algum esporte com a sua família aos finais de semana? O tênis tem uma característica que nem sempre vejo nos outros esportes: as crianças que jogam desde pequenas, normalmente, foram estimuladas por seus pais ou avós. O tênis é um esporte que passa de geração em geração, então, basta saber como estimular sem forçar.

Eu tenho três filhos e tive uma experiência interessante com eles. Meu filho mais velho amava uma raquete desde os 2 anos de idade e foi ele quem me puxou para voltar a jogar tênis. Minha filha do meio sempre foi muito resistente em jogar.   Mesmo assim, decidiu fazer aulas no clube para não ficar de fora da atividade em família aos finais de semana. Ela dizia que amava ginástica olímpica e tocar piano, e que só aprenderia tênis para acompanhar a família. Meu filho mais novo também se apaixonou pela raquete com 2 aninhos, talvez porque, quando ele nasceu, o esporte já estava muito mais presente em nossa casa ou , quem sabe, porque meu filho mais velho já competia. Sei lá!

foco

Nickyrafa

Um fato engraçado aconteceu na festa de 13 anos do meu filho mais velho. Todos nós fizemos um discurso para ele. Minha filha fez todo mundo rir dizendo que gostava muito dele e etc , mas que era muito difícil viver em uma família de viciados por tênis. O irmão só pensava em competir, a mãe era diretora do tênis do clube e sempre que queria ver tevê, colocavam para ela assistir o US Open ou algum outro torneio de tênis!

Bom, adivinha o que aconteceu? Minha filha começou a pegar gosto pelo esporte porque o professor teve um jeitinho todo especial de fazê-la apreciar o tênis. Ela só treinava com meninos ( para ela, isso já era um desafio) e, mesmo assim , estava muito estimulada! Participou do seu primeiro campeonato e foi vice-campeã. No mesmo dia, ela me falou: “ quero ir para o competitivo e JOGAR TÃO BEM QUANTO VOCÊ”.

Agora com cinco viciados, preciso me mudar para uma casa com quadra de tênis!😜

Conheça aqui a família Nagao, que encontrei na clínica de tênis Escola Guga no Costão do Santinho, e que é tão viciada no tênis quanto a minha.

 

 

As autoras deste blog reservam-se o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.